segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Se calarem a voz dos profetas?


Prestem atenção no canto de comunhão que se canta muito em nossas Missas, chamado de "Se calarem a voz dos profetas".
Pode ser bonito, mas não é nada oportuno para o momento.

Ideológico, este canto, assim como muitos da CNBB, faz com que os fiéis veem mais na luta incessante do "pobre", do afinco político (esquerdante), do que no sacrifício e no mistério sacramental da Eucaristia.

Temos o escola sem partido; devíamos ter também o canto sem partido. Pois a comunhão Eucarística, assim com o canto para este momento, é destinado à exaltar o Cristo Senhor e o mistério salvífico, e não o pobre.

Este é o grande problema da CNBB que "inventa" estes cantos: Dá ao pobre o lugar de Cristo na cruz.

Não quero ir à Santa Missa saber de pobre ou de rico; quero adorar Jesus Cristo, meu Senhor e meu Deus!

Cantemos ADORO TE DEVOTE ou tantos outros cantos belos para este momento tão SUBLIME.
Mas sem o pobre no "centro", por favor.

E Judas (o traidor) disse:

João 12:5
“Por que este bálsamo perfumado não foi vendido por trezentos denários e dado aos pobres?

E João, o apóstolo amado de Jesus responde:

João 12:6
Ele não disse isso por se importar com os pobres, mas porque era ladrão; sendo responsável pela bolsa de dinheiro, frequentemente tirava o que nela era depositado."

Nenhum comentário:

Postar um comentário