quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Bento XVI destaca três vias para conhecer Deus


Quarta-feira, 14 de novembro de 2012, 11h25
Jéssica Marçal
Da Redação
Sempre Ele (Deus) que nos faz entrar na sua intimidade, revelando-se e doando-nos a graça para poder acolher esta revelação na fé', destaca Papa

Quais as vias de acesso para conhecer Deus? Este foi o tema central da catequese realizada pelo Papa Bento XVI na Sala Paulo VI, no Vaticano, nesta quarta-feira, 14.

O Santo Padre citou três vias básicas para esse acesso: o mundo, o homem e a fé. Ciente de que existe no mundo o risco de desviar o homem desses caminhos, Bento XVI destacou o fato de que Deus nunca se cansa de buscar o homem, pois o ama.

“Há algumas vias que podem abrir o coração do homem ao conhecimento de Deus, há sinais que conduzem para Deus. Certo, muitas vezes corremos o risco de sermos ofuscados pelo brilho do mundanismo, que nos tornam menos capazes de percorrer tais caminhos ou de ler tais sinais. Deus, porém, não se cansa de procurar-nos, porque nos ama”.

O Papa lembrou que, na busca por conhecer Deus, o primeiro passo é do próprio Deus, antecedendo cada iniciativa do homem. “É sempre Ele que nos faz entrar na sua intimidade, revelando-se e doando-nos a graça para poder acolher esta revelação na fé”.

Referindo-se às três vias que conduzem à descoberta de Deus, Bento XVI destacou que uma delas é relativa ao próprio mundo, ou seja, é saber contemplar com olhos atentos a criação. “O mundo não é um magma disforme, mas quanto mais o conhecemos, mais descobrimos os surpreendentes mecanismos, mais vemos um projeto, vemos que tem uma inteligência criadora”.

O segundo caminho é o homem. Nesse aspecto, o Papa recordou uma célebre frase de Santo Agostinho que diz que “Deus é mais íntimo a mim quanto o seja eu a mim mesmo (cfr Confessioni III, 6, 11)”. E aí também o Papa citou o risco de perder, no mundo de hoje, a capacidade do homem olhar profundamente para dentro de si mesmo.

Como terceira via, Bento XVI destacou a fé. “A fé, de fato, é encontro com Deus que fala e opera na história e que converte a nossa vida cotidiana, transformando em nós a mentalidade, juízos de valor, escolhas e ações concretas. Não é ilusão, fuga da realidade, refúgio confortável, sentimentalismo, mas é implicação de toda a vida e é anúncio do Evangelho, Boa Notícia capaz de libertar todos os homens”.

Por fim, o Santo Padre destacou que um cristão fiel ao projeto de Deus já é uma via privilegiada para aqueles que estão na indiferença ou na dúvida sobre a sua própria existência ou ações. “Isto, porém, pede a cada um para tornar sempre mais transparente o próprio testemunho de fé, purificando a própria vida para que seja conforme a Cristo”.

Fonte:

Nenhum comentário:

Postar um comentário