sábado, 6 de outubro de 2012

Santa Hildegarda será 4ª mulher reconhecida como Doutora da Igreja


Sexta-feira, 05 de outubro de 2012, 15h18

Santa Hildegarda de Bingen foi canonizada por Bento XVI no dia 10 de maio de 2012


Da Redação, com Agência Ecclesia

Agência EcclesiaSanta Hildegarda de Bingen foi canonizada por Bento XVI dia 10 de maio deste ano
Santa Hildegarda de Bingen será a quarta mulher a ser reconhecida pela Igreja Católica como "doutora da Igreja". O título será concedido pelo Papa Bento XVI neste domingo, 7, durante a Missa que marca o início da Assembleia Ordinária do Sínodo dos Bispos. Na ocasião, São João de Ávila também receberá a distinção.

Até hoje, a Igreja Católica reconheceu 33 doutores, entre os quais três mulheres: Teresa de Ávila, Catarina de Sena e Teresinha de Lisieux.

A monja beneditina Hildegarda nasceu em 1098 e faleceu em 1179 no atual território germânico foi oficialmente canonizada por Bento XVI no último dia 10 de maio.

No dia em que o Papa anunciou a intenção de proclamar os dois novos doutores da Igreja Católica, ele destacou a “marca intensa de fé” que estes santos deixaram, “em períodos e ambientes culturais bem diferentes”.

Hildegarda, disse o Papa, “assumiu o carisma beneditino no meio da cultura medieval, foi uma autêntica professora da teologia e estudou aprofundadamente a ciência natural e a música”.

A monja e fundadora de dois mosteiros escreveu livros de mística e teologia, textos de medicina e análises de fenômenos naturais.

Em 1147, o Papa Eugénio III autorizou a mística a divulgar publicamente as suas visões e a falar delas em público, pelo que a partir de então o “prestígio espiritual de Hildegarda cresceu cada vez mais, ao ponto de os contemporâneos lhe atribuírem o título de ‘profeta teutônica’", recordou Bento XVI, em uma das duas catequeses que lhe dedicou em setembro de 2010, no Vaticano.

O atual Papa elogiou a “sabedoria espiritual” e “santidade de vida” da germânica e sublinhou que as suas visões místicas são “ricas de conteúdos teológicos”, em particular a “poderosa visão do Deus que vivifica o cosmos com a sua força e luz”.

“Hildegarda manifesta a versatilidade de interesses e a vivacidade cultural dos mosteiros femininos da Idade Média, contrariamente aos preconceitos que ainda pesam sobre aquela época”, disse.

O título de doutor da Igreja é atribuído a fiéis que se tenham distinguido pela santidade de vida, ortodoxia doutrinal e sabedoria.

Fonte: http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=287544

Nenhum comentário:

Postar um comentário