sábado, 1 de setembro de 2012

Preparação das leituras da palavra - 22° domingo do Tempo Comum

22º DOMINGO DO TEMPO COMUM
 
2 de SETENBRO de 2012
 
CELEBRAÇÃO DA PALAVRA - INÍCIO DO MÊS DA BIBLIA



No Mês da Bíblia deste ano de 2012, será estudado o evangelho de Marcos a partir do tema “Discípulos Missionários a partir do evangelho de Marcos” e do Lema “Coragem! Levanta-te, ele te chama!” (Mc 10,49).

1. Aprofundando os textos bíblicos:

Deuteronômio 4,1-2.6-8; Salmo 15 (14); Tiago 1,17-18.21b-22.27; Marcos 7,1-8.14-15.21-23

Evangelho: Deus oferece a salvação gratuitamente a todos os povos e seus ensinamentos estão centrados no amor. Jesus, com palavras e ações, revela o caminho de fidelidade à vontade do Pai. Como Mestre, ele dedica a vida ao anúncio da Boa Nova do Reino, que liberta integralmente e torna as pessoas discípulas. Lembrando a tradição profética, o Filho de Deus afirma: Este povo me honra com os lábios, mas seu coração está longe de mim, pois abandona o mandamento de Deus para seguir a tradição dos homens (vv.6-8; Is 29,13). Com sua atuação, Jesus elimina a diferença entre puro e impuro, enquanto barreira que divide os povos e marginaliza as pessoas. Mostra que o verdadeiro culto, em espírito e verdade (Jo 4,24), consiste no mandamento do amor a Deus e ao próximo (Mc 12,30-31). As más ações e os vícios são consequências das opções humanas; afastam do autêntico relacionamento com o Senhor e todas as criaturas. Deus salva com sua graça, para que o ser humano permaneça em sua palavra.

1ª leitura, os mandamentos são dons que libertam e asseguram a vida em plenitude na terra prometida.

Salmo, as diversas condições para entrar na casa do Senhor resumem o compromisso com a aliança.

2ª leitura convida a acolher com fé e docilidade a Palavra, que foi implantada em nós pelo batismo, assumindo as exigências éticas por ela implicadas. Sejam praticantes da Palavra, não meros ouvintes (v.22). Sem a prática da caridade com os necessitados, representados pelos órfãos e pelas viúvas, a religião fica sem sentido.

 2. Atualizando

 Deus revela seu amor oferecendo sua Palavra, seus ensinamentos para o ser humano seguir o caminho da fraternidade e da justiça social. O culto espiritual agradável ao Senhor se manifesta no serviço aos mais necessitados.

 3. A palavra de Deus na celebração

A eucaristia, centro de todos os sacramentos e de nossa liturgia, deve ser expressão da nossa vida, de uma vida de amor a Deus e ao próximo, vivida em união com Jesus. Como lembra Medellín: “O gesto litúrgico não é autêntico se não implica um compromisso de caridade, um esforço sempre renovado para ter os sentimentos de Jesus Cristo e uma contínua conversão” (9,3).

 4. Dicas e sugestões para celebração

Valorizar a proclamação e a escuta da Palavra de Deus que nos indica um caminho de autenticidade, conforme o querer de Deus.

 5 - Dicas para Homilia

Partilha da Palavra

O evangelho de hoje começa com uma provocação. Os fariseus e os escribas querem saber de Jesus por que os seus discípulos não observam as prescrições da lei. Jesus sabe muito bem que os fariseus e os escribas praticam a lei "tintim por tintim", e, no entanto, não estão no caminho de Deus. Por isso, ele os repreende, porque se acham salvos por Deus em virtude de certas práticas às quais ele chama de "mandamentos humanos".

Jesus chama a atenção, também, para a incompreensão dos discípulos (v. 18). De fato, eles começaram a se libertar desses preceitos religiosos dos fariseus, mas ainda têm dificuldade de entender a novidade de Jesus. Os discípulos não tinham a malícia dos adversários, eles eram sinceros em sua busca, mas o seu problema é que tinham uma mentalidade errada a respeito de Jesus.

O farisaísmo é um risco de todo crente. Por isso, o ensinamento de Jesus se dirige aos fariseus, à multidão, aos discípulos e a todos nós que estamos no seu caminho. Todos temos que nos converter de uma atitude formalista para a religião do coração como Jesus praticou e ensinou. A celebração, pelo ato penitencial, mas sobretudo pela escuta da palavra, é momento de avaliar a nossa fé, de perguntar sobre o sentido das nossas crenças e das nossas práticas religiosas. A própria liturgia pode cair no formalismo e na mediocridade, quando na verdade a sua função é ser expressão comunitária da aliança de Deus e da fiel acolhida à sua Palavra.

 DICAS PARA PREPARAR A HOMILIA

Seguindo o método da Leitura orante (ler, meditar, orar, contemplar), indicamos cinco passos para preparar a homilia:

1) Escolher um tempo durante a semana e um lugar onde seja possível o silencio... Antes de começar a leitura, invocar o Espírito Santo...

2) Ler os textos, começando pelo evangelho. Ler com atenção. Ler mais de uma vez. Prestar atenção nas personagens, sublinhar os verbos ou as palavras chaves. Se durante a leitura, se distrair, voltar pro começo. Ler também a primeira leitura, a segunda, o salmo.

3) Na leitura Deus se revela a nós em Jesus. Perguntamos o que Deus nos fala na Palavra: que boa notícia traz para a nossa vida e a vida de nossa comunidade? Que atitude pede de nós, que mudança de vida? A Palavra é espelho da nossa vida (autoconhecimento).

4) Silenciar por um momento diante do Pai, em oração. Agradecer pela luz que a sua palavra traz, ou pedir ajuda para compreendê-la melhor. Entrar no silêncio de Deus, Contemplar a sua presença manifestada em Jesus e na própria vida. Deixar que a Palavra lida e meditada ecoe no coração ao longo do dia e da semana. Abrir-se a novas atitudes, optar conscientemente por gestos concretos de amor, de doação suscitados pela Palavra.

5) Anotar os pontos que queremos desenvolver na homilia da comunidade e estar atentos/as ao que Espírito suscitar à medida que a Palavra vai crescendo dento do coração e na própria conduta.
Alguns cuidados que devemos ter ao preparar a homilia:

- Homilia não é palestra nem aula, é uma conversa; sua finalidade é “expor os mistérios da fé, que se referem à pessoa de Jesus” (cf. SC 51), partindo dos textos bíblicos e levando em conta a vida da comunidade.

- Homilia tem começo meio e fim. Nunca começar com algo que cause constrangimento e, ao terminar, buscar uma síntese, apontando para a boa notícia e exortando à conversão. Evitar dar lição de moral.

  - Falar pouco é regra preciosa, não mais de dez minutos, mas isso não significa empobrecer o conteúdo. É importante falar o essencial, usando uma linguagem acessível, coloquial.

- A homilia é parte integrante de toda a celebração, por isso nem começa e nem termina com sinal da cruz ou com “louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo”...

 M. do Carmo de Oliveira e Maria de Lourdes Zavarez

Fonte: Revista de Liturgia - Rede Celebra

http://www.redecelebra.com.br/leitura.php?id=286

http://www.revistadeliturgia.com.br/diadosenhor.php?iddiadosenhor=1#dez




 

Nenhum comentário:

Postar um comentário