terça-feira, 25 de setembro de 2012

Preparação da Liturgia da Palavra (26° Domingo Comum)


CELEBRAÇÃO DA PALAVRA
26º DOMINGO DO TEMPO COMUM
30 de SETEMBRO de 2012


1 - Aprofundando os textos bíblicos: 
Números 11,25-29; Salmo 19(18); Tiago 5,1-6; Marcos 9,38-43.45.47-48

Evangelho: Os discípulos ainda não se abriram à mensagem de Jesus. Eles tentam impedir a ação libertadora de alguém, apenas porque não pertencia ao seu grupo. Sua fé continua insuficiente para libertar do mal e cuidar dos doentes (9,18-19). Jesus ensina a acolher todos os que fazem o bem, dizendo: Não o impeçais. Quem não é contra nós está a nosso favor (vv.39-40). A ação do Espírito de Deus é sem fronteiras e desperta as pessoas para gestos solidários, como oferecer um copo de água para beber. Jesus recompensa quem age em seu nome e exorta a não escandalizar os pequenos, que creem nele. O valor absoluto do Reino é simbolizado pelas imagens do pé, da mão e dos olhos. O ser humano todo é chamado a entrar no Reino de Deus, ou seja, na vida plena, assumindo opções coerentes com a mensagem libertadora de Jesus.


1ª leitura: A 1ª leitura evoca a caminhada pelo deserto, quando os setenta anciãos são investidos com a força do Espírito e se tornam cooperadores de Moisés. Moisés reconhece a ação profética de Eldad e Medad apesar de não pertencerem ao grupo dos anciãos: Oxalá que todo o povo do Senhor fosse profeta (v.29).

Salmo: O salmo ressalta que a lei do Senhor ilumina e enriquece quem a segue. 

2ª leitura: A 2ª leitura exorta profeticamente a partilhar os bens com os necessitados, a não explorar os trabalhadores, privando-os do salário digno para viver.

2. Atualizando

A palavra e atuação de Jesus comprometem a trabalhar em favor da libertação de todas as formas do mal no mundo. O seguimento abre os horizontes da comunidade para a comunhão com todos os que colocam suas vidas a serviço da humanidade.

3. A palavra de Deus na celebração

Interpelada pela Palavra de Deus, sem prender o Espírito que age onde quer, a comunidade de fé é convidada a ser sinal de unidade e comunhão nas diferenças. A Eucaristia, como sacramento da unidade e da comunhão eclesial, levamos a um empenho ecumênico e inter-religioso.

4. Dicas e sugestões

Na profissão de fé, que pode ser dialogada a exemplo da Vigília Pascal, a comunidade, iluminada pela Palavra de Deus, renove seu compromisso de solidariedade com os pobres e de respeito e diálogo com outras igrejas e religiões.





DICAS PARA PREPARAR A HOMILIA 

Seguindo o método da Leitura orante (ler, meditar, orar, contemplar), indicamos cinco passos para preparar a homilia:

1) Escolher um tempo durante a semana e um lugar onde seja possível o silencio... Antes de começar a leitura, invocar o Espírito Santo...

2) Ler os textos, começando pelo evangelho. Ler com atenção. Ler mais de uma vez. Prestar atenção nas personagens, sublinhar os verbos ou as palavras chaves. Se durante a leitura, se distrair, voltar pro começo. Ler também a primeira leitura, a segunda, o salmo.

3) Na leitura Deus se revela a nós em Jesus. Perguntamos o que Deus nos fala na Palavra: que boa notícia traz para a nossa vida e a vida de nossa comunidade? Que atitude pede de nós, que mudança de vida? A Palavra é espelho da nossa vida (autoconhecimento).

4) Silenciar por um momento diante do Pai, em oração. Agradecer pela luz que a sua palavra traz, ou pedir ajuda para compreendê-la melhor. Entrar no silêncio de Deus, Contemplar a sua presença manifestada em Jesus e na própria vida. Deixar que a Palavra lida e meditada ecoe no coração ao longo do dia e da semana. Abrir-se a novas atitudes, optar conscientemente por gestos concretos de amor, de doação suscitados pela Palavra.

5) Anotar os pontos que queremos desenvolver na homilia da comunidade e estar atentos/as ao que Espírito suscitar à medida que a Palavra vai crescendo dento do coração e na própria conduta.



Alguns cuidados que devemos ter ao preparar a homilia:

- Homilia não é palestra nem aula, é uma conversa; sua finalidade é “expor os mistérios da fé, que se referem à pessoa de Jesus” (cf. SC 51), partindo dos textos bíblicos e levando em conta a vida da comunidade.

- Homilia tem começo meio e fim. Nunca começar com algo que cause constrangimento e, ao terminar, buscar uma síntese, apontando para a boa notícia e exortando à conversão. Evitar dar lição de moral.

- Falar pouco é regra preciosa, não mais de dez minutos, mas isso não significa empobrecer o conteúdo. É importante falar o essencial, usando uma linguagem acessível, coloquial.

- A homilia é parte integrante de toda a celebração, por isso nem começa e nem termina com sinal da cruz ou com “louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo”...


M. do Carmo de Oliveira e Maria de Lourdes Zavarez

Fonte: Revista de Liturgia - Rede Celebra
http://www.redecelebra.com.br/leitura.php?id=286
http://www.revistadeliturgia.com.br/diadosenhor.php?iddiadosenhor=1#dez

Um comentário:

  1. Bom dia! Gostei muito das orientações, especialmente porque preparo semanalmente a reflexão do evangelho de domingo e a apresento no programa da Pastoral da Educação, o qual vai ao ar todas as sextas-feiras na Rádio Nova Aliança da Arquidiocese de Brasília. Mais uma vez parabéns pelas explicações. Abraço, Maria Auxiliadora

    ResponderExcluir