quarta-feira, 11 de julho de 2012

Ordem Beneditina

São Bento
Monges Beneditinos



Mosteiro da Santa Cruz
Nova Friburgo, Rio de Janeiro (Brasil)

O Bem-aventurado São Bento indica em sua Regra o critério fundamental da vocação monástica: si vere Deum quaerit, isto é, se aquele que bate à porta do mosteiro procura verdadeiramente a Deus.

É essa procura de Deus que condiciona e explica todas as observâncias monásticas e estabelece o contraste entre o mundo e o mosteiro: no mosteiro, o ofício divino, a obediência e os opróbrios, como diz São Bento, e no mundo, sobretudo no mundo atual, o descaso pelo seu culto verdadeiro, a desobediência à Sua lei e o orgulho, que faz os homens fugirem da cruz de Nosso Senhor sem se darem conta que encontrarão outra bem mais pesada, pois só o jugo de Nosso Senhor é leve e só o Seu fardo é suave.

Mas para adaptar-se à uma vida que apresenta tantos contrastes com a vida do mundo tanto quanto ao espírito como quanto às práticas externas, a Santa Regra e o Direito Canônico estabeleceram etapas através das quais o candidato vai tomando conhecimento aos poucos da vida e costumes monásticos e os superiores vão, por sua vez, examinando o mesmo, para ver não só se ele procura verdadeiramente a Deus, mas também se ele tem as aptidões necessárias para o nosso gênero de vida.


Após um primeiro contato com o superior, o futuro candidato se instala na hospedaria, e durante cerca de cinco dias observa os costumes da casa, e conversa com o mesmo superior, para se ver se tem as aptidões mínimas necessárias. Sendo aceito, entra no postulantado, que dura cerca de seis meses, onde vai sendo educado nos costumes monásticos.

Transcorrido o postulantado, em uma cerimônia de vestição, a pessoa troca a roupa do século pelo hábito religioso e muda o seu nome civil para um nome de religião. Inicia-se então o noviciado que dura dois anos, no fim dos quais o noviço fará os votos temporários de pobreza, castidade, obediência e estabilidade no mosteiro. Sendo agora já um monge professo (temporário), este continua no exercício das virtudes cristãs por um período de três anos, findos os quais poderá renová-los por mais três anos ou emitir os votos perpétuos, conforme o superior da casa achar conveniente.

Podemos dizer que no mosteiro há três classes de monges: irmãos conversos, irmãos de coro que não são padres e irmãos de coro que são padres.

Os irmãos conversos dedicam-se mais ao trabalho manual, não tendo obrigação de assistência ao coro.

Os irmãos de coro não padres, ao contrário, têm uma carga horária de trabalho manual um pouco menor, porém têm a obrigação de ir ao coro, para a recitação do ofício divino.

Os irmãos de coro que são padres, são em tudo semelhantes à classe anterior, porém acrescidos da dignidade do sacerdócio, pela qual devem celebrar a Santa Missa e confessar, quando designados para isso.

Vida Monástica

Claustro
O tempo é dividido entre oração, estudo e trabalho.
A oração litúrgica, o Ofício Divino, ocupa o primeiro lugar:

O fundamento íntimo do estado religioso, escreve D. Romain Banquet, é a prática contínua e mais perfeita possível do primeiro mandamento: ‘Adorar a Deus e amá-lo de todo coração’. É por isso que S. Bento escreve na Regra que ‘nada deve ser preferido ao Ofício Divino’, ‘nihil operi Dei praeponatur’. São Bento traduz simplesmente a vontade de Deus e a da Igreja quando ele coloca o Ofício Divino acima de tudo. Tudo, no plano divino, se refere à celebração da glória de Deus

(Doctrine Monastique de Dom Romain Banquet, p.76)

Ao Ofício Divino e inspirada nele se acrescenta a oração pela qual o monge une-se a Deus de maneira mais pessoal. Aliás, a observância do silêncio não tem outra finalidade senão a de tornar mais fácil essa união ao longo de todo o dia.
Depois da oração, o estudo ocupa um lugar importante em nossa vida. Como poderia ser de outra forma se nós só amamos o que conhecemos? E, conhecendo, o amor não procura conhecer ainda mais? A esse respeito nós só temos de seguir nossos predecessores que sempre amaram o estudo, e é por isso que encontramos cinco Doutores da Igreja entre os filhos de São Bento.


Nossos candidatos ao sacerdócio fazem parte de seus estudos no Seminário da Fraternidade São Pio X na Argentina o que nos deixa felizes por termos assim um laço a mais com a obra de Dom Lefebvre. Esperamos poder ter futuramente nosso próprio corpo docente o que permitirá que todos os estudos sejam feitos no mosteiro, estudos que se prolongarão durante toda a existência do monge, inspirando e esclarecendo sua vida de oração e o apostolado que pode lhe ser eventualmente confiado.

Enfim o trabalho manual completa as ocupações do monge, dando-lhe ocasião de fazer penitência, de se identificar com Nosso Senhor trabalhando em Nazaré e formar seu julgamento por esse contato cotidiano com a realidade das coisas mais humildes mas tão admiráveis da criação, na horta, na cozinha, na padaria e nos diversos ofícios da casa.

O horário que regula essas três grandes atividades do monge em nosso mosteiro é o seguinte:

- 03:30 - MATINAS, seguidas da “Lectio Divina”
- 06:00 - LAUDES, seguidas de oração mental
- 07:00 - Café da manhã 07:30 - PRIMA, seguida de aulas
- 10:00 (ou 11:00) - TERÇA e MISSA CONVENTUAL
- 12:00 - SEXTA seguida de almoço
- 14:15 - NOA, seguida de trabalho manual
- 17:00 - VÉSPERAS, seguidas de oração
- 18:00 - Jantar 18:45 - Capítulo
- 19:00 - COMPLETAS
- 20:00 - Apagar as luzes



Uma vez por semana, após Noa, a comunidade faz uma caminhada recreativa. Além disso, ao menos duas vezes por ano toda a comunidade faz o que chamamos "grande passeio" e que nada mais é do que uma grande excursão a pé pelas matas das redondezas, ocasião em que passamos o dia "em família" ao ar livre, o que não nos impede de aí cantar o Ofício Divino e louvar assim o Criador!

Às nossas atividades propriamente monásticas acrescenta-se, além da assistência espiritual, um discreto apostolado junto às famílias da região assim como a orientação espiritual da pequena escola mantida pelo mosteiro.

Prior
Dom Tomás de Aquino

Endereço para correspondência
Sociedade Civil Mantenedora do Mosteiro da Santa Cruz
Caixa Postal 96582 - Nova Friburgo - RJ
CEP: 28610-974
Telefone: [55] 22-2540.1136

Horários e dias em que se atende o telefone: de segunda-feira a sábado, das 15h às 16h.
Localização: 22º 11' 18,92" S e 42º 32' 57,47" W

Fonte: http://sanctidominici.blogspot.com.br/p/teste.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário