sábado, 20 de agosto de 2016

20 de agosto - Dia de São Bernardo

A conversão de São Bernardo


Antes de postar esta biografia, gostaria de agradecer imensamente a colabora do jornal "O Lutador" ao qual eu era assinante e que me enviou esta preciosidade da nossa Igreja. Deus lhe abençoe imensamente Margarida Hulshof.


São Bernardo de Claraval, roguai por nós!

Segue na íntegra o documento.


"Caro Wagner,

Para responder à sua pergunta, lembrei-me de consultar um

amigo, prior de um mosteiro cistercience. Ele me mandou este
texto que achei tão interessante, que decidi encaminhar-lhe o
texto todo, em vez de apenas redigir um resumo para o jornal.
Pretendo ainda escrever o artigo, mas tenho certeza de que
você gostará de ler essa biografia de São Bernardo que segue
abaixo.

Um abraço


Margarida Hulshof"

Enviado: domingo, 9 de julho de 2006 21:19:09


A CONVERSÃO DE SÃO BERNARDO
- Resenha dos primeiros capítulos da obra
"Life and Teaching of St. Bernard",
de Ailbe Luddy -



I

01. Poucos homens de distinção possuíram tantos
biógrafos como o insigne São Bernardo, Abade de
Claraval. A longa lista principia entre os seus
contemporâneos e discípulos, quatro dos quais se
propuseram sucessivamente registrar para a posteridade
os principais fatos de sua maravilhosa carreira. Estas
primeiras Vidas latinas foram reimpressas vezes sem
conta e traduzidas em muitas línguas. Outras Vidas
baseadas naquelas apareceram também em número elevado.

02.Existem algumas dúvidas no que respeita à data de seu
nascimento. A maioria dos escritores atribui-lhe o ano
de 1091; o abade Vancard, porém, após cuidadoso estudo,
pronunciou-se a favor de 1090.

domingo, 31 de julho de 2016

As orações do anjo de Portugal

– Não temais. Sou o Anjo da Paz. Orai comigo.

E ajoelhando em terra, curvou a fronte até ao chão. Levados por um movimento sobrenatural, imitámo-lo e repetimos as palavras que lhe ouvimos pronunciar:

– Meu Deus, eu creio, adoro, espero e amo-Vos. Peço-Vos perdão para os que não crêem, não adoram, não esperam e não Vos amam.

Depois de repetir isto três vezes, ergueu-se e disse:

– Orai assim. Os Corações de Jesus e Maria estão atentos à voz das vossas súplicas.

E desapareceu.

Deixando o cálix e a Hóstia suspensos no ar, prostrou-se em terra e repetiu três vezes a oração:

– Santíssima Trindade, Padre, Filho, Espírito Santo, adoro-Vos profundamente e ofereço-Vos o preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo, presente em todos os sacrários da terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido. E pelos méritos infinitos do Seu Santíssimo Coração e do Coração Imaculado de Maria, peço-Vos a conversão dos pobres pecadores.


Depois, levantando-se, tomou de novo na mão o cálix e a Hóstia e deu-me a Hóstia a mim e o que continha o cálix deu-o a beber à Jacinta e ao Francisco, dizendo, ao mesmo tempo:

– Tomai e bebei o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo horrivelmente ultrajado pelos homens ingratos. Reparai os seus crimes e consolei o vosso Deus.

De novo se prostrou em terra e repetiu connosco a mais três vezes a mesma oração:

– Santíssima Trindade... etc.

E desapareceu.

Referências: 
  1. Memórias da Irmã Lúcia. 13. ed. Fátima: Secretariado dos Pastorinhos, 2007, p. 168-171.
  2. https://padrepauloricardo.org/aulas/as-aparicoes-do-anjo-de-portugal

Para as mulheres de boa vontade

"O bom de não mostrar o corpo é que as pessoas prestam mais atenção no seu sorriso."

Não torne público o que deveria ser privado. Mostre o seu corpo ao seu marido. Se não tem marido, então não o mostre a ninguém. O seu corpo é templo do Espírito Santo.

Dias atrás eu e minha família passamos de carro numa rua onde havia várias prostitutas. Ao chegarmos no nosso bairro percebemos que as "moças decentes" estavam com trajes mais inadequados que os das meretrizes.

Chegamos ao cúmulo do ridículo.

É hora de olhar para a beleza da modéstia .


quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Andrea Bocelli - Tu Scendi Dalle Stelle

Feliz Natal!



Tu desces das estrelas
oh Rei do céu,
e vens numa gruta
ao frio e ao gelo!
E vens numa gruta
ao frio e ao gelo!

Doce Menino meu divino
eu te vejo aqui a tremer.
Oh Deus beato,
oh quanto te custou
ter-me amado!
Oh quanto te custou
ter-me amado!

Tu desces das estrelas
oh Rei do céu,
e vens numa gruta
ao frio e ao gelo!
E vens numa gruta
ao frio e ao gelo!

Oh Deus beato,
oh quanto te custou
ter-me amado!
Oh quanto te custou
ter-me amado!

Tu desces das estrelas
oh Rei do céu,
e vens numa gruta
ao frio e ao gelo!
E vens numa gruta
ao frio e ao gelo!

Doce Menino meu divino
eu te vejo aqui a tremer.
Oh Deus beato,
oh quanto te custou
ter-me amado!
Oh quanto te custou
ter-me amado!

Feliz Natal!

Feliz Natal!
Faça deste natal um verdadeiro encontro com o menino Jesus e com a sagrada Família!!!!!



O conhecimento dos santos agradece a sua amizade e a sua contribuição por compartilhar Jesus Cristo e a sua mensagem. Estamos juntos em defesa da fé, da Igreja, do Papa e dos santos.
Jesus é a nossa luz, a luz que brilha em meio as trevas.
Deus abençoe a sua família e tenha um maravilhoso Natal!

Feliz Natal!








Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=hQFDg4ZBaNE&list=PLyb_-UHf7RGSweJFddFWdQA3oaJH_PqDs

domingo, 10 de maio de 2015

A dança na Liturgia é permitida?

Adoração ao Bezerro de Ouro, do pintor francês Nicholas Poussin 

Quem nunca em sua paróquia já não presenciou uma apresentação de "dança litúrgica" durante a Santa Missa onde terminava em fortes aplausos bem como tantas outras apresentações coreográficas e teatrais; mas é correto? e o que a Igreja ensina?

Complementando o que já foi postado e comentando anteriormente aqui sobre o distanciamento da Divina liturgia, a dança vem sendo amplamente disseminada em nossas celebrações por todo o país e se tornando uma febre. Mas o que pensa o Magistério da Igreja?

Em relação a este assunto eu não responderei por minha opinião é claro, pois a liturgia não pertence a nenhum capricho meu e sim ao longo dos mais de dois milênios de tradição da Igreja. 
O Cardeal Francis Arinze, então Prefeito da Congregação para o Culto Divino entre 2002 e 2008, responde com objetividade esta questão. 



Não vou deixar o Cardeal Arinze representando o magistério da Igreja apenas com esta opinião. O Cardeal Joseph Ratzinger, nosso Papa Emérito Bento XVI, descreve em seu livro "Introdução ao Espírito da liturgia"  o que verdadeiramente a dança representa na Liturgia.

"A dança não é uma forma de expressão da liturgia cristã. No séc. III, círculos gnóstico-docetistas tentaram introduzi-la na liturgia cristã. Para eles, a crucificação não passava de aparência: antes da Paixão, Cristo deixara o corpo que jamais assumiu como seu; por isso, em lugar da liturgia da cruz podia entrar a dança, visto que a cruz tinha sido apenas aparência. As danças cultuais das várias religiões possuem diferentes finalidades - exorcismo, fetiche analógico, êxtase místico, nenhuma dessas formas corresponde à orientação interior da liturgia do 'sacrifício conforme a palavra' . É completamente contraditória, na tentativa de tornar a liturgia mais 'atraente', introduzindo nela pantominas sob a forma de dança - onde é possível , por meio de grupo de dançarinos profissionais -, que em geral terminam em aplausos (coisa por outro lado, correta quando se trata de talento artístico em sentido restrito). Lá, onde explodem os aplausos para a obra humana na liturgia, estamos diante de um sinal certo de que se perdeu completamente a essência da liturgia e de que ela foi substituída por uma espécie de entretenimento de fundo religioso. Tal atração não dura muito, no mercado de ofertas para o lazer, que assume cada vez mais formas do religioso visando despertar a curiosidade do público, a concorrência não possui controle. Eu mesmo já assisti a uma celebração na qual o ato penitencial  foi substituído por uma apresentação de dança que, como óbvio, terminou num grande aplauso; seria possível afastar-se ainda mais do que é realmente a penitência? A liturgia só pode atrair as pessoas se não olhar para si mesma, mas para Deus, e se lhe permite estar presente e agir. Então acontece o extraordinário, sem igual, e as pessoas sentem que aqui ocorre algo mais que um simples arranjo de lazer. Nenhum rito cristão conhece a dança." 

Bem, depois desta "chapuletada" eu vou deixar aqui várias fontes do Youtube para visualizar bem o drama.

https://youtu.be/y8_EBa9KwoE
https://youtu.be/qnUf4pXN_gU
https://youtu.be/PEHvOxa51q4
https://youtu.be/PEHvOxa51q4
https://youtu.be/WF8wNsg6M6M
https://youtu.be/YXRZB_2MQFk
https://youtu.be/MxfO7a7_bWs
https://youtu.be/_jO73aNNQXE
https://youtu.be/HxQizDRs_h8
https://youtu.be/_gCupIPVWT0
https://youtu.be/0uWxss-b8os
https://youtu.be/XGP-NFtdaZs
https://youtube.com/watch?v=B2ErH2nEMdw
https://youtube.com/watch?v=B2ErH2nEMdw
https://youtube.com/watch?v=B2ErH2nEMdw


Fontes: 

Youtubehttps://www.youtube.com/watch?v=-qunILnfndY

http://www.conhecimentodossantos.blogspot.com.br/2013/09/introducao-ao-espirito-da-liturgia.html

Introdução ao Espírito da liturgia,
Cardeal Joseph Ratzinger - Papa Bento XVI - Cap II, (2) página 164

quarta-feira, 1 de abril de 2015

A cruz: Escudo do cristão

Impossível é não meditar na cruz na semana santa e no sinal que esta nos representa. Com isto, o nosso então cardeal Joseph Ratzinger - Papa Bento XVI - escreve sobre o sinal da santa cruz em seu famoso livro "Introdução ao Espírito da liturgia". Vejamos:


"O gesto fundamental da oração do cristão é, e permanece, o sinal da cruz. É uma profissão, expressa por meio do corpo, de fé em Cristo Crucificado, segundo as palavras programáticas de são Paulo: 'Nós ao contrário, anunciamos um Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus e loucura para os pagãos. Cristo, no entanto, é o poder de Deus e a sabedoria de Deus para os escolhidos, quer judeus, quer gregos' (1Cor 1,23s). E ainda: 'Entre vós, eu não quis saber de nada a não ser Jesus Cristo, e Jesus Cristo crucificado' (2,2). Marcar a si mesmo com o sinal da cruz é um sim, visível e público, Àquele que sofreu por nós; Àquele que tornou invisível o amor de Deus até o extremo; ao Deus que não governa por meio da destruição, mas através da humildade do sofrimento e do amor, que é mais forte que todo o poder do mundo e mais sábio que toda a inteligência e de todos os cálculos do ser humano. O sinal da cruz é uma profissão de fé: eu creio n`Aquele que sofreu por mim e ressuscitou; n`Aquele que transformou o sinal do escândalo em um sinal de esperança e do amor presente de Deus em nós. A profissão de fé é uma profissão de esperança: creio n' Aquele que em sua fraqueza é o Onipotente; n' Aquele que, exatamente na aparente ausência e extrema fraqueza, pode me salvar e me salvará. No momento em que fazemos o sinal da cruz em nós, colocamo-nos sob a proteção da cruz, colocamo-la diante de nós como um escudo que nos protege nas tribulações dos nossos dias e nos dá a coragem para prosseguir adiante. Nós a tomamos como um sinal que nos aponta o caminho a seguir: 'Se alguém quer me seguir, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me' (Mc 8,34). A cruz nos mostra o caminho da vida: o seguimento de Cristo.

Introdução ao Espírito da liturgia, 
Cardeal Joseph Ratzinger - Papa Bento XVI - Cap II, (2) páginas 147 e 148